Postagens populares e evangélicas

Loading...

Páginas

Noticias.......Já!

Loading...

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Há mitos na Bíblia?


Há mitos na Bíblia?


 
Há mitos na Bíblia?
Os liberais sempre estiveram certos. Há mitos na Bíblia. Mitos eram abundantes no mundo religioso do Antigo Oriente ao redor de Israel, bem como nas religiões à época da Igreja apostólica do primeiro século. Por conseguinte, os escritores bíblicos registraram vários deles em suas obras.
No Antigo Testamento encontramos vários desses mitos. Há a crença dos cananeus de que existiam deuses chamados Astarote, Renfã, Dagom, Adrameleque, Nibaz, Asima, Nergal, Tartaque, Milcom, Astarote, Renfã e Baal.
Sobre este último, há o mito de que podia responder com fogo ao ser invocado por seus sacerdotes. Há também o mito egípcio de que o Nilo, o sol e o próprio Faraó eram divinos; o mito filisteu do rei-peixe Dagom; e que o Deus de Israel precisava de uma oferta de hemorróidas e ratos de ouro para ser apaziguado. Para não falar do mito cananeu da Rainha dos Céus, que exigia incenso e libações (bolos) dos adoradores (Jeremias 44.17-25).
Outro mito na Bíblia é que o sol, a lua e as estrelas eram deuses, mito esse que sempre foi popular entre os judeus e radicalmente combatido pelos profetas (IIReis 23.5,11; Ezequiel 8.16). O mito pagão de monstros e serpentes marinhas é mencionado em Jó, Salmos e Isaías, em contextos de luta contra o Deus de Israel, em que eles representam os poderes do mal, os povos inimigos de Israel (Jó 26.10-13; Salmos 74.13-17; Isaías 27.1).
A lista é enorme. Há muitos mitos espalhados pelos livros do Antigo Testamento.
O livro de Jó cita mitos de outros povos, como Rahab e Leviatã, mas não podemos imaginar que o autor, por isto, esteja dizendo que os aceita como verdade. Os profetas, apóstolos e autores bíblicos se esforçaram por mostrar que os mitos eram conceitos humanos, falsos, e em chamar o povo de Deus a submeter-se à revelação do Deus que se manifestou poderosa e sobrenaturalmente na História. Eles sempre estiveram empenhados em separar mitologia de história real, e invenções humanas da revelação de Deus. Elias desmitificou Baal no alto do Carmelo. Moisés também desmitificou o Nilo, o sol e o próprio Faraó, provando, pelas pragas que caíram, que a divindade deles era só mito mesmo. E quando ele queimou o bezerro de ouro e o reduziu a cinzas, desmitificou a idéia de que foi o bovino dourado quem tirou o povo de Israel do Egito. O próprio Deus se encarregou de derrubar o mito de Dagom, rei-peixe dos filisteus, quando a sua imagem caiu de bruços diante da Arca do Senhor e teve a cabeça cortada (ISamuel 5.2-7).
No Novo Testamento, o apóstolo Paulo se refere por quatro vezes aos mythoi (grego). Mitos são estórias profanas inventadas por velhas caducas (ITimóteo 4.7), que promovem controvérsias em vez da edificação do povo de Deus na fé (ITimóteo 1.4). Entre os próprios judeus havia muitas dessas fábulas, histórias fantasiosas (Tito 1.14). E já que as pessoas preferem os mitos à verdade (IITimóteo 4.4), Timóteo e Tito, a quem Paulo escreveu essas passagens, deveriam adverti-las, e eles mesmos deveriam se abster de se deixar envolver nesses mitos. A advertência era necessária, pois os cristãos das igrejas sob a responsabilidade deles vinham de uma cultura permeada por mitos.
O próprio Paulo se deparou várias vezes com esses mitos. Uma delas foi em Listra, quando a multidão o confundiu, juntamente com Silas, com os deuses do Olimpo e queria sacrificar-lhes (Atos 14.11). Outra vez foi em Éfeso, quando teve de enfrentar o mito local de que uma estátua da deusa Diana havia caído do céu, da parte de Júpiter, o chefe dos deuses (Atos 19.35). Em todas essas ocasiões, Paulo procurou afastar as pessoas dos mitos e trazê-las para a fé na ressurreição de Jesus Cristo. De acordo com Paulo, mitos são criações humanas, oriundas da recusa do homem em aceitar a verdade de Deus. Ao rejeitar a revelação de Deus, os homens inventaram para si deuses e histórias sobre esses deuses, que são as religiões pagãs (Romanos 1.17-32).
Pedro também estava perfeitamente consciente do que era um mito. Quando ele escreve aos seus leitores acerca da transfiguração e da ressurreição de Jesus Cristo, faz a cuidadosa distinção entre esses fatos que ele testificou pessoalmente e mithoi , “fábulas engenhosamente inventadas” (2Pe 1.16). Ele sabia que a história da ressurreição poderia ser confundida com um mito, algo inventado espertamente pelos discípulos de Jesus. Ao que parece, Paulo e Pedro, juntamente com os profetas e autores do Antigo Testamento, estavam perfeitamente conscientes da diferença entre uma história real e outra inventada.
Dizer que os próprios autores bíblicos criaram mitos significa dizer que eles sabiam que estavam mentindo e enganando o povo com estórias espertamente inventadas por eles. Seus escritos mostram claramente que eles estavam conscientes da diferença entre uma história inventada e fatos reais. Através da História, os cristãos têm considerado o mito como algo a ser suplantado pela fé na revelação bíblica, que registra os poderosos atos de Deus. Equiparar as narrativas bíblicas aos mitos pagãos é validar a mentira e a falsidade em nome de Deus. É adotar uma mentalidade pagã e não cristã.
Existe, naturalmente, uma diferença entre o mito neoliberal e os contos que aparecem na Bíblia. Há várias histórias na Bíblia, criadas pelos autores bíblicos, que claramente nunca aconteceram. Contudo, elas nunca são apresentadas como história real, como fatos reais sobre os quais o povo de Deus deveria colocar sua fé, mas como comparações visando ilustrar determinados pontos de fé, ou linguagem figurada. São as parábolas, os contos, como aquela história do espinheiro falante contada por Jotão (Juízes 9.7). Há também a poesia, quando se diz que as estrelas cantam de júbilo, que Deus cavalga querubins e viaja nas asas do vento. Os salmos contêm muito disso. Quando os neoliberais deixam de reconhecer a diferença entre mitos e gêneros literários que usam licença poética e linguagem figurada, fazem uma grande confusão.
Eu disse que a atitude dos profetas, apóstolos e autores bíblicos em relação ao mito foi de desmitificação . Eu sei que dizer isso é anacrônico, pois foi somente no século passado que Rudolph Bultmann propôs seu famoso programa de desmitificação da Bíblia. Ele achava que havia mitos na Bíblia e que era preciso separá-los da verdade. Mas, antes dele, os próprios profetas, apóstolos e autores bíblicos já haviam manifestado essa preocupação. É claro que eles e Bultmann tinham conceitos diferentes. Mas se ao fim o mito é uma história de caráter religioso que não tem fundamentos na realidade e que se destina a transmitir uma verdade religiosa, eles não são, de forma alguma, uma preocupação exclusiva de teólogos modernos.
Vejam então que o programa de desmitificação começou muito antes de Bultmann! Começa na própria Bíblia, que nos chama a separar a verdade do erro.

As principais ciências auxiliam no estudo das Escrituras


Hermenêutica é a ciência e a arte que estuda a interpretação da Bíblia. Ciência porque estabelece regras positivas e invariáveis; arte porque suas regras são práticas. A Bíblia Sagrada é diferente de qualquer outro livro secular. Ela contém o Livro e a Mensagem! Como livro, ela contém 39 no Antigo Testamento, e 27 no Novo Testamento. Como mensagem, ela é a Palavra de Deus. Suas escrituras são compostas de histórias, profecias, poesias, enigmas, parábolas, romances, figuras e biografias.

As principais ciências auxiliam no estudo das Escrituras:
hermenêutica, que procura descobrir o sentido exato das palavras e dos textos.
crítica textual, que se propõe a determinar a exatidão das palavras e dos textos.
exegese, que é a aplicação prática da hermenêutica e da crítica textual.


As principais leis da Hermenêutica que auxiliam na interpretação das Escrituras:
 Lei do Contexto
A parte que vem antes ou depois do texto. Diz-se que não se deve interpretar um texto sem o auxílio do contexto, para não se fazer um pretexto: Lc 19:28-44; At 8:30-31; Is 53:7. 
 Lei do Texto Paralelo
Um texto deve ser auxiliado na sua interpretação utilizando o mesmo assunto que ocorre em outras partes das Escrituras Sagradas: Jo 19:18; Mc 15:27; Mt 27:38; Lc 23:39-43. 
 Lei da Autoria do Texto
Os diferentes autores da Bíblia viveram em tempos, culturas, situações sociais e regiões diferentes. Portanto, a forma de apresentação de um determinado texto para um povo que vivia situações diferentes, deve ser comparado com outros em tempo ou forma remota: Ef 5:22-27; I Pe 2:5-10; Ct 8:5-10. 
 Lei da Interpretação do Texto
A interpretação do texto é aquilo que a passagem quer dizer no tempo, no espaço e nas circunstâncias que foram escritas. O literalismo busca o que o texto quer dizer (Jo 21:6); o simbolismo busca o que a figura quer dizer (Ap 3:20). 
 Lei da Aplicação do Texto
Um mesmo texto pode ser aplicado a pessoas ou clãs vivendo épocas ou situações geográficas diferentes: Mt 13:24-30. 
 Lei da Implicação do Texto
Num sentido filosófico, pode se dizer que uma pessoa geme porque está doente. Ai está a lei da implicação – a manifestação patente do latente. Se uma pessoa tem seu rosto plácido é porque o coração está alegre. Como o batismo no Espírito Santo biblicamente é evidenciado pelo crente falar em outras línguas, assim só se pode profetizar os que receberam, de igual forma, a virtude desse Espírito: Mt 13:25; Ap 3:18-20. 

Como Estudar (e interpretar) a Bíblia. Hermenêutica.


Como Estudar (e interpretar) a Bíblia. Hermenêutica.



0. Sempre tenha em sua mente as regras da sã Hermenêutica

(interpretação literal-gramatical-histórica, dentro da dispensação e dentro do contexto textual e histórico).

Em última instância, todas as diferenças teológicas entre os crentes recaem em “Como interpretar a Palavra de Deus?




Basicamente, há apenas 2 métodos de interpretação da Bíblia:
Método alegórico: Cada pessoa atribui o sentido que preferir às palavras de Deus, de modo que a autoridade final fica sendo o homem, e não Deus!

Método literal-gramatical-histórico[dispensacional]" Quando o sentido simples da Escritura faz senso comum, não procure nenhum outro sentido; portanto, tome cada palavra no seu significado literal - usual - ordinário - primário, a não ser que os fatos do contexto imediato, estudados à luz de passagens relacionadas e de verdades axiomáticas e fundamentais, claramente indiquem o contrário." (D. L. Cooper). Obviamente, a interpretação literal-gramatical-histórica tem espaço para linguagem figurada-poética ("Eu sou a porta", "os montes ... romperão em cântico ... as árvores ... baterão palmas", etc.), de significado óbvio e indiscutível, só não tem espaço para alegorismo (associar leão à Inglaterra, confundir Israel e a Igreja, etc.). 

Claro, claro, há talvez 0,1% de passagens com sentido poético (Is 55:12 ... os montes e os outeiros romperão em cântico diante de vós, e todas as árvores do campo baterão palmas)  e com uso de figuras de linguagens (eu sou a porta ... eu sou o caminho ... etc.), mas sempre há um modo (único e evidente pelo contexto imediato e mediato) de interpretá-los de modo que honre o literalismo racional. Talvez um exemplo esclareça melhor:

Se o jornal diz que “a educação é o caminho que o Brasil deve trilhar”, isto é linguagem figurada, mas todosde modo simples e imediato e honrando o literalismo racional, entendem que “caminho” não é uma rodovia, e que “trilhar” não é com pés físicos literais! Todos entendem que “caminho”, na sentença, significa ação a ser tomada para a salvação do nosso país. Para mim, esta é a interpretação LITERAL racional, literal-óbvia-indiscutível dentro do seu contexto. Não há outra interpretação possível. Ninguém precisa entender diferentemente.
Semelhantemente, onde Cristo diz “Eu sou o caminho ...”, devemos entender que “caminho”, nesta sentença, significa acesso, maneira que habilita para a salvação pessoal do inferno e para a adoção pelo Pai, através fé bíblica e recebimento bíblico do Cristo da Bíblia. Para mim, esta é a interpretação LITERAL racional, literal-óbvia-indiscutível dentro do seu contexto. Não há outra possível. Ninguém precisa entender diferentemente.

Interpretação alegórica é o oposto do acima. Um alegorista dirá “A palavra `Eu` significa a igreja Fulana, portanto o que Cristo realmente quis dizer é que a igreja Fulana é o único caminho para a salvação; outro alegorista dirá "A expressão `o caminho` é muito radical, devemos interpretá-la como sendo apenas `um dos muitos caminhos possíveis`, portanto o que Cristo realmente quis dizer é que Ele é um dos muitos caminhos possíveis para o céu, e sabemos que outros caminhos igualmente possíveis são as boas obras, a sinceridade, o esforço sincero, o batismo, o budismo, o islamismo, qualquer religião sinceramente seguida, ou até mesmo o ateísmo bondoso.” Com a interpretação alegórica, o interpretador faz a Bíblia ensinar qualquer coisa que ele quiser. Com interpretação alegórica, vai-se à Bíblia para torcê-la de modo a dizer o que o homem quer, é Deus que tem que se dobrar ao homem e não este a Deus.

Para o literalista, Israel é sempre Israel; para o alegorista 1 Israel significa a Igreja Católica Romana, para o alegorista 2 Israel significa a Igreja verdadeira dos salvos verdadeiros, ... para o alegorista 20 significa qualquer outra coisa.
Para o literalista, as inúmeras promessas da Bíblia de um reino de 1000 anos literais de Cristo fisicamante presente e fisicamente reinando de Israel literal sobre todo o mundo literal, é exatamente isto (reino totale literal, 1000 anos literais, Cristo literalmente presente fisicamente e reinando literalmente, todo o mundo é literal); para o alegorista 1 significa um quase reino, mais ou menos virtual, de duração indefinida, de uma influência benéfica indefinida e não pessoal nem fisicamente presente, cuja influência benéfica se estende gradualmente até alcançar a maior parte da terra, se e à medida que contar com a ajuda das religiões unidas e das ONG's.

Estou convicto de que, de longe, a principal causa das divergência teológicas entre as 101 denominações "evangélicas" e 10.001 subvertentes dentro delas, é que quase nenhuma quer usar estritamente a Interpretação Literal. Se 100 pastores que nunca se viram, cada um de uma denominação diferente, tivessem que morar para sempre numa ilha, e se assentassem numa mesa e acertassem, com real sinceridade, abandonar todas as tradições que herdaram de suas denominações, e todos os teólogos delas, e todos os chamados "pais da igreja", e todos os credos denominacionais, etc., e passar um ano lendo a Bíblia em conjunto, somente a Bíblia, e a interpretando literalmente conforme explicada aqui e em http://solascriptura-tt.org/EscatologiaEDispensacoes/MetodoNormal-LiteralInterpretacaoProfeciaBiblica-DCloud.htm, com auxílio somente de concordâncias e dicionários, lendo uma mesma Bíblia do Textus Receptus, dominados pelo mesmo Espírito Santo, ao final todos teriam uma só doutrina (ao menos nos primeiros 100 ou 200 pontos principais), todos poderiam redigir e entusiasticamente subscrever uma mesma Declaração Doutrinária (idem), e organizariam uma só igreja local. Todos creriam na total realidade da perdição eterna no inferno de fogo literal e de sofrimento terrível, consciente, inescapável e eterno; todos creriam na imperdibilidade da salvação e preservação; todos creriam na mais absoluta perfeição da inspiração e da preservação verbal da Bíblia; todos abandonariam odiaram heresias tais como universalismo e modalismo; abandonariam o batismo infantil herdado de Roma; abandonariam a transubstanciação também vinda de Roma; abandonariam a busca pelos dons que foram exclusivos e identificatórios dos apóstolos; ninguém duvidaria que Cristo voltará (com Sua igreja totalizando todos os salvos, mesmo que nem todos os pastores concordassem que haverá uma distinção entre os salvos da atual e os salvos das demais dispensações) ao final da Tribulação para reinar corporalmente 1000 anos literais, etc. ... Ah, se aceitassem sempre, literalmente (nos moldes das duas referências), o que Deus fez escrever, todas as igrejas voltariam a ser iguais, como as melhores igrejas dos últimos dias do apóstolo João! Ah, se todas as igrejas voltassem ao literalismo!


Algumas chaves para o entendimento das Escrituras:

- Ser salvo 1 Co 2:14;Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.

Ler (estudar, conferir) diariamente At 17:11;Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalónica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim.
- Interpretar literalmente (em harmonia com contexto e passagens correlatas2Pd 1:20;      Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação.
- Saber dividir as Escrituras (que dispensação? dirigido a quem? dito por quem? etc.) 2Tm 2:15;Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.
Lembremos que os 13 livros Rm a Fm são os únicos da Bíblia expressamente escritos para a dispensação em que estamos, das assembleias locais. Conseqüentemente, embora todas as palavras dos restantes 53 livros da Bíblia ({Gn-At; He-Ap}) também sejam igualmente inspiradas por Deus de forma verbal + infalível + inerrável + plenária, tais outros 53 livros têm algumas centenas ou milhares de partes (por exemplo: sacrifício de animais, circuncisão, dons e sinais exclusivos dos apóstolos, etc.) dirigidas a outras dispensações e outros grupos de pessoas e não a nós, os salvos dos dias de hoje.Conseqüentemente:
1) tudo que está proibidoordenadoprometido em {Gn-At; He-Ap} (por exemplo: entrar diretamente na presença de Deus`(sem sacerdote humano servindo de intermediário)/ circuncisão/ bênçãos materiais em conseqüência do dizimar), mas está explicitamente escrito o contrário em {Rm-Fm}, onde está explicitamente permitidoproibidonão prometido, então mudou e, agora, para nós, na realidade, está permitidoproibidonão prometido;
2) tudo que está proibidoordenadoprometido em ambos {Gn-At; He-Ap} e {Rm-Fm} (por exemplo: homicídio, amar a Deus acima de tudo, recompensa por crer e por obedecer), então agora, para nós, continua proibidoordenadoprometido;
3) os casos em que “algo” está proibidoordenadoprometido em {Gn-At; He-Ap} (por exemplo, espiritismo/ guardar o ano sabático/ colheita dobrada no ano anterior ao sabático), mas {Rm-Fm} guarda silêncio sobre isto, então precisam de uma análise muitíssimo mais acurada, com considerações de implicações rigorosamente lógicas e irrefutáveis, feitas a partir de verdades bíblicas mais explícitas e claras {Rm-Fm}, acrescidas de considerações sobre se tal “algo” faz parte da lei cerimonial ou da lei moral de Deus, etc. (Por exemplo:
3.a) a proibição ao espiritismo não faz parte da lei cerimonial mas sim da moral, e a prática espírita viola outros mandamentos válidos para esta dispensação das assembleiaslocais, portanto espiritismo continua proibido por Deus, para nós, desta dispensação;
- 3.b) guardar o ano sabático é da lei cerimonial, só para judeus, portanto não se aplica a nós;
- 3.c) daí, a promessa de colheita dobrada no ano anterior ao sabático também não se aplica a nós.)


Comparar Escritura com Escritura 1Co 2:13As quais também falamos, não com palavras de sabedoria humana, mas com as que o Espírito Santo ensina, comparando as coisas espirituais com as espirituais.
- Aplicar (por em prática); e pregar At 8:35.    Então Filipe, abrindo a sua boca, e começando nesta Escritura, lhe anunciou a Jesus.



Sempre lembre as 10 regras básicas abaixo:

- Algumas profecias foram condicionais (eg: Jonas, para Nínive);

- Profetas falam do futuro como se fosse presente ou passado;

- “Lei dos Picos: um trecho pode dar a visão de 2 picos e esconder 1 vale entre eles (eg: Is 61:1-2; Jl 2:28-32);
  O espírito do Senhor DEUS está sobre mim; porque o SENHOR me ungiu, para pregar boas novas aos mansos; enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos, e a abertura de prisão aos presos;    A apregoar o ano aceitável do SENHOR e o dia da vingança do nosso Deus; a consolar todos os tristes;

  E há de ser que, depois derramarei o meu Espírito sobre toda a carne, e vossos filhos e vossas filhas profetizarão, os vossos velhos terão sonhos, os vossos jovens terão visões.    E também sobre os servos e sobre as servas naqueles dias derramarei o meu Espírito.    E mostrarei prodígios no céu, e na terra, sangue e fogo, e colunas de fumaça.    O sol se converterá em trevas, e a lua em sangue, antes que venha o grande e terrível dia do SENHOR.    E há de ser que todo aquele que invocar o nome do SENHOR será salvo; porque no monte Sião e em Jerusalém haverá livramento, assim como disse o SENHOR, e entre os sobreviventes, aqueles que o SENHOR chamar.

Lei do Duplo Cumprimento”: profecias podem ser cumpridas duplamente, a 1a. vez num sentido “menor” e incompleto (eg: a destruição de Jerusalém no ano 70) e a 2a. vez num sentido “maior” e completo (eg: a Grande Tribulação);

- “Lei da 1a. Referência”:  o sentido símbolo, na Bíblia, é constantemente o da sua 1a. ocorrência (eg: fermento é sempre mal,  pecado, hipocrisia, e isto explica a parábola do fermento, em Mt 13);

- “Lei da Recapitulação”: passagens sucessivas podem ser recapitulações, repetições de um mesmo fato sob diferentes ênfases e pontos de vista (eg: os 4 evangelhos; os sonhos de faraó; Gn 1:1 e os outros relatos da criação Gn 1:2-31 e 2:4-25; os 7 selos + 7 trombetas + 7 taças de Apocalipse., etc.);

- Nunca alicerce uma doutrina apenas sobre símbolos, tipos, parábolas, etc. E não procure explicar todos os seus detalhes, mas só os principais. E use-os não para inventar, mas sim parailustrar doutrinas, já bem estabelecidas em trechos claros, literais, explícitos

- Sempre use os textos explícitos-claros-ordem para explicar os implícitos-escuros-exemplo. Não use estes para torcer e anular aqueles;
- Tudo o que foi cumprido até hoje o foi literalmente. Por que supor que não mais o será?
- Siga estas regras e siga o princípio de “Sola Scriptura”sem se curvar demais aos comentários aos grandões (do passado e, ainda mais, de hoje).



1. Sempre Tenha as Perguntas Chave em Sua Mente


Eis algumas perguntas que se deve ter em mente ao ler cada parágrafo da Bíblia:

A. Quem está falando estas palavras neste verso? É Deus Pai/Filho/Espírito Santo? É um profeta de Deus profetizando em nome de Deus? É um anjo de Deus? É um crente, sincero mas não inspirado? É um descrente? É um demônio?

B. Para quem as palavras deste parágrafo foram ditas? Para judeus na Dispensação da Lei? Para crentes da dispensação da Igreja? Para a Tribulação? Para o Milênio?

C. No capítulo de hoje, qual versículo mais tocou meu coração, minha vida? Sublinhe-o.

D. Qual é a idéia principal do capítulo?

E. O que o capítulo ensina a respeito de CRISTO? (Ele sempre será o centro de tudo).

F. Há um exemplo que devo seguir?

G. Há um erro que devo evitar?

H. Há alguma tarefa que devo realizar?

I. Há alguma promessa da qual me devo apropriar (isto é, crer)?

J. Há algum pecado que devo confessar?

2. Sempre Tenha um Plano de Estudo Definido


A. Estude uma palavra, o mais profundamente que puder. Usando um concordância, procure uma palavra e veja as várias maneiras como é usada na Bíblia. Por exemplo: a palavra coração dá um estudo muito interessante. Podemos notar dez tipos de corações. Leia estes versículos e diga os tipos de corações que achar:
Referência
Texto
Tipo de coração
Mat 5:8
Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus;
limpo
Tia 4:8
Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós. Alimpai as mãos, pecadores; e, vós de duplo ânimo, purificai os corações.
purificado
Mar 10:5
E Jesus, respondendo, disse-lhes: Pela dureza dos vossos corações vos deixou ele escrito esse mandamento;
duro
Luc 24:25
E ele lhes disse: O néscios, e tardos de coração para crer tudo o que os profetas disseram!
tardo
Sal 57:7
Preparado está o meu coração, ó Deus, preparado está o meu coração; cantarei, e darei louvores.
preparado(para servir e louvar)
Jer 17:9
Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?
enganoso
Jer 20:9
Então disse eu: Não me lembrarei dele, e não falarei mais no seu nome; mas isso foi no meu coração como fogo ardente, encerrado nos meus ossos; e estou fatigado de sofrer, e não posso mais.
ardente
Eze 18:31
Lançai de vós todas as vossas transgressões com que transgredistes, e fazei-vos um coração novo e um espírito novo; pois, por que razão morreríeis, ó casa de Israel?
novo

Observação: Acima de tudo, o Espírito Santo será seu professor, você pondo muito tempo, muito esforço, muita oração, e muita submissão no estudo da Palavra. Depois disto, uma boa CONCORDÂNCIA é a melhor coisa que pode usar (se quiser e tiver uns rudimentos de Grego e Hebraico, use uma concordância nestes idiomas, como Strong`s [faz parte da Online Bible], mas isto não é  realmente necessário se você tiver uma concordância exaustiva de uma fiel tradução da Palavra de Deus (Textos Massorético + Receptus)). Não dê muito crédito aos “Pais da Igreja” (geralmente foram hereges em muitas áreas!), nem a comentários, nem aos “super-intelectuais”.


B. Estude uma doutrina, o mais profundamente que puder. Descubra tudo o que puder sobre doutrinas tais como; oração, inspiração, salvação, santificação e assim por diante.


C. Estude capítulos e livros da Bíblia, o mais intensamente que puder (seqüencialmente, capítulo por capítulo e verso por verso; Este é o melhor, mais equilibrado método, que lhe trará maiores benefícios espirituais a você e à igreja onde você prega ou ensina, é o método que deve ser preferido a maior parte do tempo). Comece escolhendo um livro curto, tal como Gálatas. Use o seguinte plano com cada capítulo:

* Descubra a idéia principal do capítulo. Dê ao capítulo um título, usando suas próprias palavras.

* Faça um esboço do capítulo, da maneira que achar que ele se desenvolve em torno da idéia principal.

* Descubra e sublinhe o versículo-chave do capítulo.

* Faça uma lista do que o capítulo ensina sobre CRISTO.

* Faça uma lista das maneiras em que o capítulo se aplica à sua vida.


Como dever de casa, leia o livro de Filipenses e prepare um estudo, usando o plano dado acima. Escreva suas respostas numa folha à parte, uma folha por capítulo.



D. Só use estes 3 métodos. Nunca leia e estude aleatoriamente (“onde a minha mão abrir”), ou só assuntos sensacionalistas, ou só “devocionais água com açúcar”, ou só “para poder defender a fé”, etc. Pior, não deixe de estudar com todo coração; Pior ainda, não deixe de estudar regularmente, a cada dia.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

“Prepara-se o cavalo para o dia da batalha, porém do SENHOR vem a vitória.” (Provérbios 21:31)


A vitória vem de Deus!


“Prepara-se o cavalo para o dia da batalha, porém do SENHOR vem a vitória.” (Provérbios 21:31)
Acredito que que a maioria das pessoas já falaram ou ouviram alguém dizer as seguintes frases: “Passei no vestibular por causa do meu esforço”; “Eu comprei um carro importado porque tenho muito dinheiro”“Consegui aquele emprego por causa da minha boa formação”; etc. A princípio, pode-se concluir que essas frases estão corretas, porém, as coisas não são dessa forma…
Vejamos o que muitos livros de autoajuda/motivação dizem o seguinte: “Você é capaz de fazer tudo aquilo que deseja, porque a força reside em seu interior”. Ora, é necessário muito cuidado como essas frases, porque dá a entender que há uma independência do homem em relação a Deus. Isso me lembra um princípio pregado em muitos ramos do ocultismo: “O homem não precisa de Deus, porque ele é um deus.”
Ora, não estou dizendo que não devemos fazer esforço ou que o mesmo é inválido (tal como está escrito: “Prepara-se o cavalo para o dia da batalha,”), mas acredito que há algo acima de nossos próprios méritos: a providência divina (como diz a conclusão do versículo: “porém do SENHOR vem a vitória”.).
É necessário aniquilar a soberba e o espírito autosuficiente e reconhecer a soberania de Deus em nossas vidas. Devemos, como cristãos, manter a humildade preservada em nossos corações. Portanto, não podemos ser daqueles que batem no peito e bradam: “Eu sou cara! Eu conseguirei X pelos meus próprios méritos!”, mas daqueles que dizem: “Senhor, ajuda-me, porque sou dependente de ti. Se é da tua vontade, vai dar tudo certo.”.

Instrumentos Improváveis


"Estêvão, homem cheio da graça e do poder de Deus, realizava grandes maravilhas e sinais entre o povo." (Atos 6:8)

Estêvão, o primeiro mártir da igreja, morreu ainda jovem. Alguns podem olhar para a forma como ele morreu e pensar: “Que desperdício!” Mas nas palavras de Jim Elliot, outro jovem mártir da fé: “Não é tolo, de forma alguma, aquele que dá o que não pode manter para ganhar o que não pode perder”.

Que tipo de pessoa Deus procura para usar para Sua glória? O que qualifica uma pessoa a ser selecionada por Deus para ser Seu instrumento? Será que é um grande intelecto ou a quantidade de diplomas dependurados na parede? Você precisa ser fisicamente atraente? Precisa ter nascido um líder? O que dizer de uma pessoa que é tímida? O que dizer de uma pessoa que não é fisicamente atraente? O que dizer de pessoas que muitas vezes são classificadas como “comuns”? Há um lugar para pessoas como essas?

Eu acho que sim. Isso porque uma das coisas que se sobressaem nas Escrituras é o uso de Deus de pessoas, que amais imaginaríamos pudessem ser usadas por Ele.
E se minha vida pode usada como exemplo de alguma coisa, essa é uma delas.

Então, porque Deus faz isso?
Achamos a resposta em 1 Coríntios 1:27-29:
Mas Deus escolheu as coisas loucas do mundo para envergonhar os sábios, e escolheu as coisas fracas do mundo para envergonhar as fortes. Ele escolheu as coisas insignificantes do mundo, as desprezadas e as que nada são, para reduzir a nada as que são, para que ninguém se vanglorie diante dele.

Deus busca pessoas “inesperadas” para serem usadas para a Sua glória.
- Você está disposto a ser uma dessas pessoas?

O Movimento da Igreja Emergente É uma Corrupção do Cristianismo Bíblico


O Movimento da Igreja Emergente É uma Corrupção do Cristianismo Bíblico

Autor: Robert Pye.
Em todo o Novo Testamento, os apóstolos nos advertem repetidas vezes sobre a infiltração de lobos em pele de ovelha na igreja. Essas advertências são surpreendentemente fortes e deveriam colocar todos os cristãos em alerta. Infelizmente poucos cristãos dão ouvidos às advertências. Os lobos da atualidade são excepcionalmente ativos e astutos na maneira de atingir seus objetivos e, para tal, adulteram, distorcem e enfraquecem a mensagem de Jesus Cristo. Muitos desses lobos foram treinados e são financiados por organizações anticristãs cujo objetivo é destruir o Cristianismo bíblico. De fato, alguns dos mais respeitados escritores e líderes "cristãos" da atualidade são ardorosos servos desses grupos anticristãos.
Esse fato não é de causar espanto algum. Ao contrário, Satanás em sua contínua luta pela destruição do Cristianismo, quer atrair cada vez mais vítimas em sua teia de engano. A enganação é a marca característica desta época em que vivemos.
O que vem a seguir é uma lista de algumas das diferenças-chave entre o verdadeiro Cristianismo bíblico e a "nova" versão aguada do Cristianismo que tomou conta dos Estados Unidos e de outras partes do mundo. Particularmente, creio que todo cristão nascido de novo deveria se familiarizar com esse evangelho edulcorado em sua forma mais astuta de apresentação e com as reais intenções que estão por trás dele.
Esse novo tipo de Cristianismo é frequentemente chamado de Movimento da Igreja Emergente. Nem todas as igrejas que seguem essa filosofia são formalmente ligadas à Igreja Emergente ou adotam todas as suas características. Todavia, grande parte das características citadas abaixo estão presentes na maioria dessas igrejas, mesmo naquelas que originariamente defendiam com verdadeira convicção o evangelho de Cristo.
A fim de facilitar a leitura, agrupei as características em grupos. Entretanto, assim como o fermento sobre o qual o Senhor Jesus nos advertiu, cada uma dessas características têm a tendência de espalhar-se até que todo o corpo seja afetado. Portanto, caso sua igreja apresente apenas algumas das características seguintes, fique alerta: a mentalidade da Igreja Emergente tem uma voracidade incomum por novas ideias.
Poderíamos falar longamente sobre cada uma das características, mas um breve resumo deve ser suficiente.

O Julgamento Divino

1. Pouca ênfase é dada pela Igreja Emergente ao julgamento divino e ao caráter ofensivo do pecado aos olhos de Deus. A questão do pecado é silenciosamente relegada a segundo plano. O quanto nosso pecado ofende e magoa o Senhor não é algo que possa ser esquecido.
2. Como resultado, há pouca ou nenhuma ênfase no arrependimento ou sobre a necessidade de arrependimento pelos pecados. Dificilmente os cristãos são lembrados de que mesmo após serem salvos, ainda somos pecadores e precisamos nos arrepender diariamente. O verdadeiro arrependimento bíblico implica em afastamento do pecado e, com a ajuda de Deus, mudar aqueles aspectos de nossas vidas que desagradam a Deus.
3. O temor do Senhor é ignorado ou grandemente menosprezado. Este é um dos pontos principais das Escrituras, mas raramente é mencionado pelos proponentes do evangelho fácil. Ao contrário, a ênfase é dada quase que exclusivamente ao conceito de que "Deus é amor", como se Seu amor fosse de certa forma separada de Seu julgamento imparcial e de Sua tremenda santidade.
4. Isto significa que o conceito de inferno é empurrado bem para o segundo plano. Quando discutido, ele geralmente é tratado como um termo que foi mal interpretado ou demasiadamente enfatizado no passado. O evangelho edulcorado tem dificuldade em pregar que Deus julgará e punirá os pecadores. Muitos preferem pensar no inferno como uma forma de aniquilação, em vez de um lugar de tormento real.
5. Uma das consequências disso tudo é que a Igreja Emergente perdeu quase completamente de vista a necessidade da obediência incondicional e contrita à vontade de Deus. Os líderes da Igreja Emergente dão pouca ênfase à importância da obediência resoluta à palavra de Deus e a Seus mandamentos imutáveis.

A Bíblia Como Única Palavra de Deus

6. Há um nítido distanciamento da Bíblia como a infalível e literal palavra de Deus. Cada vez mais, a Bíblia é vista pela Igreja Emergente como um "livro de sabedoria", como as escrituras ditas sagradas de outras religiões.
7. Pouca ênfase é dada ao estudo diário da Bíblia ou a qualquer outro regime de estudo bíblico. Os membros do movimento são incentivados a estudarem os textos dos especialistas modernos. Muitos livros recomendados pelos líderes da Igreja Emergente servem aos propósitos dos planos desse movimento e frequentemente contêm materiais que os cristãos do século 19 considerariam ofensivos.
8. Uma forte ênfase é dada no Movimento da Igreja Emergente à Psicologia e à Filosofia de autoajuda modernas. Muitas passagens bíblicas são interpretadas como versões antigas de conceitos psicológicos modernos.
9. Não há uma tradução da Bíblia a ser usada como padrão. Os membros do movimento são encorajados a procurarem a tradução que melhor se ajuste às suas necessidades particulares, incluindo traduções baseadas em erudição superficial e em teologia fraca. Muitas dessas "Bíblias" são pouco mais que uma paráfrase humana do texto original.
10. A Igreja Emergente é muito vaga a respeito do Arrebatamento, da Tribulação e do Milênio. Ela tenta justificar esse fato por meio da interpretação alegórica e não-literal de muitas passagens bíblicas.
11. A Igreja Emergente é muito lenta ao defender a narrativa da Criação descrita nos primeiros onze capítulos do Gênesis. Muitos líderes endossam a Teoria do Projeto Inteligente, que implica que Deus guiou o desenvolvimento da vida durante um longo período de tempo a fim de "criar" as formas de vida atuais. Esta doutrina não é bíblica.
12. A Igreja Emergente tende a ignorar as profecias, embora cerca de 25% da Bíblia seja composta de profecias, e metade dessas profecias tratem de acontecimentos ainda no futuro. Este fato está relacionado com o modo como a Igreja Emergente faz pouco caso do julgamento divino. Uma vez que grande parte das profecias a serem cumpridas no futuro dizem respeito ao julgamento de Deus de uma forma ou outra, o estudo das profecias, especialmente aquelas relacionadas com o Fim dos Tempos, é seriamente negligenciado.

Verdadeira Salvação

13. Raramente a Igreja Emergente menciona o sangue de Cristo e Sua obra expiatória. Muitos recém-convertidos ficam com a impressão que Jesus Cristo morreu por nós porque nos amava (o que é verdade), mas não que Ele morreu em nosso lugar. Jesus Cristo é cada vez mais descrito como um modelo de perfeição e não como Senhor e Salvador, nosso sumo sacerdote e intercessor junto ao Pai.
14. O termo "nascido de novo" é praticamente desconhecido pela Igreja Emergente. A ideia de que a verdadeira salvação requer que nasçamos de novo quase nunca é mencionada. Ao revés, a salvação é reduzida à aceitação formal de Jesus, à participação como membro de uma igreja cristã e à participação na comunhão com outros cristãos.
15. A Bíblia ensina claramente que boas obras são frutos da salvação e não a causa. A Igreja Emergente dá muita atenção às boas obras e aos programas sociais. Entretanto, isso é feito de uma forma que ofusca a distinção entre salvação pelas obras e a salvação como um presente puro e incondicional da parte de Deus por meio do sangue de Jesus Cristo: um presente do qual homem algum é merecedor. A Igreja Emergente pressupõe que a expansão contínua do Cristianismo implica na melhoria das condições de vida em todo o mundo, o que é muito diferente do que a Bíblia ensina.

Afinidades com a Nova Era

16. A Igreja Emergente enfatiza de forma exagerada o fator "sentir-se bem". Os membros são incentivados a sentirem-se bem consigo mesmos e parar de pensar que são criaturas caídas e pecadoras. A ideia de que as pessoas são essencialmente boas faz parte da filosofia da Nova Era e contradiz o que a Bíblia ensina a respeito da natureza caída e pecadora do homem.
17. Os cristãos são ensinados que a Bíblia foi planejada, pelo menos em parte, para promover o bem estar e prosperidade da humanidade e que, portanto, contém "princípios" para o sucesso material. Tudo o que a pessoa precisa é seguir a fórmula.
18. A ideia de que Deus é amor incondicional é o principal componente do Movimento de Nova Era. A Bíblia é perfeitamente clara ao afirmar que o amor de Deus não é incondicional. A compreensão da Nova Era de amor exclui completamente o julgamento de Deus e Sua justiça, bem como nossa necessidade de total obediência à Sua santa palavra. Portanto, não é de surpreender que esse conceito falso de amor seja tão popular hoje em dia e tenha sido incorporado, talvez de forma não intencional, na Igreja Emergente. Por sua vez, isso nos leva ao "universalismo", que é a crença de que na plenitude dos tempos, devido ao supostamente incondicional amor de Deus, todos serão salvos e poucas almas (se tanto) serão condenadas ao inferno.
19. Assim como o Movimento da Nova Era, a Igreja Emergente dá muita importância às experiências. Os seguidores são frequentemente encorajados a interpretarem as Escrituras de acordo com suas próprias experiências e a viverem de acordo com elas. Isto é exatamente o oposto do que a Bíblia ensina. Devemos interpretar nossas experiências de acordo com as Escrituras, e não o contrário.
20. A Igreja Emergente gosta muito de utilizar "técnicas". Essas técnicas são descritas como métodos testados e aprovados para alguém se aproximar de Deus. A principal dessas técnicas é a Oração Contemplativa, conforme ensinada por Thomas Merton, um monge católico que faleceu em 1968. Entre outras técnicas defendidas pelos líderes da Igreja Emergente estão a meditação, visualização, ioga (yôga), repetição de mantras, repetição de orações e Lectio Divina (NT: outra modalidade de oração contemplativa). A Bíblia não ensina nenhuma técnica baseada no uso da visualização, imaginação ou esvaziamento da mente. Pelo contrário, ela alerta contra todas essas práticas. A meditação mencionada na Bíblia é uma reflexão sobre a palavra de Deus e Suas obras, o que é muito diferente das formas modernas de meditação. Em vez de alertar os cristãos sobre os perigos dessas práticas, a Igreja Emergente promove todas elas.
21. A Igreja Emergente também é muito aberta ao uso de sonhos para propósitos espirituais. Esta também é uma parte central do Movimento de Nova Era. Embora Deus possa ocasionalmente expressar Sua santa vontade para nós em sonhos, o uso regular dos sonhos como meio para interpretar ou discernir a vontade de Deus para nossas vidas é muito difícil e abre as portas para espíritos enganadores. Os seguidores do Movimento da Igreja Emergente não são alertados quanto à necessidade de discernimento nesta área e de julgar qualquer sonho que vá contra os padrões da palavra de Deus. Nota: Os paralelos entre a Igreja Emergente e o Movimento Nova Era são impressionantes e perturbadores. Um estudo mais completo disso pode ser encontrado no artigo "O Movimento de Nova Era Tem o Objetivo de Destruir o Cristianismo Bíblico", disponível na área restrita.

Ecumenismo

22. A igreja evangélica nos Estados Unidos afastou-se do princípio de separação durante os anos 1940s. A separação é a doutrina bíblica que os cristãos devem se separar dos incrédulos e dos valores mundanos o tanto quanto possível. A rejeição desse princípio está levando atualmente muitas igrejas a irem além e buscarem terreno comum com outras religiões. A Igreja Emergente é muito simpática ao ponto de vista que declara que o Cristianismo deve ser colocado em uma base mais ecumênica. Por exemplo, o documento "Evangélicos e Católicos Juntos" (1994) foi assinado por muitas lideranças evangélicas e eruditos católicos romanos nos Estados Unidos.
23. A Igreja Emergente crê que os cristãos têm algo a aprender com as outras religiões, incluindo com o Budismo, Islamismo e a tradição contemplativa da Igreja Católica Romana. Eles creem que todas as religiões têm algum fundo de verdade e que os cristãos devem aprender a identificar essa verdade e usá-la como base para um diálogo interfé. Em vez de alertar quanto aos perigos do Ecumenismo, a Igreja Emergente apoia e toma medidas ativas para promovê-lo.

Israel

24. A Igreja Emergente está se afastando rapidamente do foco em Israel, bem como das promessas de Deus para o povo judeu. Assim como a Igreja Católica, a Igreja Emergente foi atraída pela "Teologia da Substituição", que ensina que todas as promessas de Deus para Israel foram transferidas para a igreja depois do Pentecostes.

Aparência Externa da Igreja

25. A Igreja Emergente atribui demasiada importância a uma organização forte com formas eficazes de administração, frequentemente utilizando os melhores métodos empregados no mundo empresarial. O critério usado para determinar o que é melhor para a igreja frequentemente é o mesmo usado no meio secular, e não o critério do Novo Testamento.
26. A Igreja Emergente direciona grande parte de suas atividades e energia para fazer crescer o número de membros. Em vez de se preocupar em trazer os pecadores ao arrependimento, ela prefere abrir suas portas para novos membros de maneira congenial, acreditando que essas pessoas virão ao arrependimento no tempo certo.
27. Muitas canções utilizadas pela Igreja Emergente no louvor têm fraco conteúdo bíblico ou simplesmente não são adequadas para a adoração.

Mentalidade Não Julgadora

28. Embora tudo o que fazemos deva ser feito com amor, esse amor não é permissivo. Esse amor não é tolerante com o pecado, mas inclui a repreensão refletida e a correção equilibrada sempre que apropriadas. Entretanto, a Igreja Emergente está profundamente comprometida com uma atitude de não julgar o próximo, e nem mesmo julgar a sociedade em geral. Apesar de a Bíblia ensinar que todos os cristãos devem empenhar-se para garantir a pureza da doutrina da igreja e a boa conduta de seus membros, a filosofia de "não julgar" (que foi planejada para promover a tolerância e a inclusividade) não permite que os membros da Igreja Emergente verbalizem suas preocupações.
29. A Igreja Emergente endossa o seguinte princípio: "No essencial, unidade; no não essencial, liberdade; em tudo, amor". Não existe base teológica para isto. Este princípio é usado pela Igreja Emergente a fim de justificar seu ecumenismo, sua frouxidão teológica, sua ativa participação em atividades seculares e sua aceitação aos valores mundanos. A Bíblia afirma claramente que muitas das normas sociais atuais estão em conflito com o que o Pai Celestial requer de nós. Não julgamos o pecador, mas somos exortados a julgar o pecado. O Movimento da Igreja Emergente encontra muita dificuldade em fazer isso e rotineiramente fecha os olhos para o comportamento homossexual e o divórcio.
30. Como a Igreja Emergente não profere nenhum julgamento quanto às outras formas de Cristianismo ("liberdade nas questões não essenciais"), raramente seus líderes alertam as ovelhas quanto à apostasia, aos falsos mestres ou aos incontáveis ataques do mundo contra a pureza da doutrina cristã.
31. Muitos líderes da Igreja Emergente criticam aqueles a quem chamam de "fundamentalistas cristãos", pessoas obstinadas que interpretam as Escrituras de forma supostamente estreita. Buscando "tolerância" e inclusividade, a Igreja Emergente está preparada para deixar de lado ou contemporizar a autoridade incondicional da Bíblia. Depois que isto acontece, outros deslizes são inevitáveis.

Cuidado com o Inimigo

32. A Igreja Emergente raramente fala sobre Satanás como um poderoso ser sobrenatural que está disposto a destruir o Cristianismo e enganar a todos que ele possa conduzir à condenação eterna. Os líderes da Igreja Emergente subestimam a existência, o poder, os métodos e objetivos de Satanás. Eles também subestimam grandemente o controle que Satanás exerce sobre este mundo.
33. A Igreja Emergente pouco reconhece os perigos do ocultismo, da filosofia de Nova Era, do Misticismo Oriental, da ioga, etc. Tampouco ela trata o reino das trevas como uma ameaça sempre presente ao homem moderno.

Comentário Final

Nenhuma das características acima (1 a 33) têm amparo bíblico e muitas contradizem diretamente as Escrituras. A Igreja Emergente ensina um evangelho edulcorado que não tem poder para salvar ninguém. Esse evangelho é morno, macio e agradável aos ouvidos, porém isento de sustento espiritual. Todos os seus seguidores estão sendo levados à planejada Religião Única Global que, abrirá as portas para o Anticristo.
"Lembra-te, pois, de onde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; quando não, brevemente a ti virei, e tirarei do seu lugar o teu castiçal, se não te arrependeres." [Apocalipse 2:5].

A VINDA DE JESUS - ARREBATAMENTO


A VINDA DE JESUS - ARREBATAMENTO 

ELE VOLTARÁ

A tão discutida vinda de Cristo é sempre assunto polêmico, atual e por muitas vezes, para a grande maioria das pessoas, um tema obscuro e desconhecido. Uns crêem na sua vinda, mas não sabem como se dará, outros perderam o temor e já não acreditam em mais nada. A grande maioria, porém, permanece indiferente, fria, alheia ao Evangelho.

Nos últimos dias, disse Pedro "...virão escarnecedores com seus escárnio, andando segundo suas próprias paixões, e dizendo: onde está a promessa da sua vinda?" porque desde meninos ouviram falar e hoje são adultos e Ele ainda não veio. Um dia vem após o outro e todas as coisas permanecem como desde o principio da criação. E zombam dizendo: " Isso é conversa dos crentes". Dando de ombro saem sem dar a menor importância.

"Mas amados, não ignoreis uma coisa: que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia. O Senhor não retarda a sua promessa ainda que alguns a têm por tardia: mas é longânimo para convosco, não querendo que alguns se percam, se não que todos venham a arrepender-se." (II Pe 3.8,9).

Deus continua a esperar que você se arrependa e se converta, e é por isso que nós te rogamos da parte de Cristo que vos reconcilieis com Deus, porque "vivo eu diz o Senhor Jeová, que não tenho prazer na morte do ímpio, mas em que o ímpio se converta do seu caminho e viva" (Ez. 33.11).





Não tendo em conta os tempos de ignorância, Deus anuncia agora a todos os homens e em todo o lugar, que se arrependam "Arrependei-vos pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham a ser os tempos do refrigério pela presença do Senhor" (At. 3.19) "porque isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador, que quer que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade" (II Tm 2.3,4).

Jesus disse: "... Eu para isso nasci e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade ouve a minha voz" (Jo 18.37b).

Ouvir a voz de Cristo é ter um encontro com a verdade "E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará" (Jo 8.32). E então as dúvidas serão dissipadas, as amarras que te prendem desfeitas e as cadeias da escuridão despedaçadas pelo poder de Deus. Raiará em sua vida a LUZ que é Jesus, e Ele mesmo é o que te diz: "Vinde a mim e eu vos farei pescadores de homens".

Deus criou o homem para a sua glória (Is 43.7), para ser a coroa de toda a criação. Fez ao homem reto, mas eles buscaram muitas invenções.

No início a glória de Deus vestia o homem, que gozava de plena comunhão com o seu Criador. Isso antes que a terrível serpente destilasse o veneno que intoxicaria o homem até à alma, causando o seu tropeço e a sua queda. Como um filho rebelde que deixa a casa do pai, o homem chegou para Deus e disse: "Já sou maior de idade, vacinado, dono do meu nariz. Eu faço da minha vida o que eu quero". E virando as costas para Deus tomou sua própria estrada "Há caminhos que ao homem parece ser bom, mas o seu fim são caminhos de morte" (Pv 14.12).

O homem ignorou o seu criador, rejeitou a sua face. E corrompendo-se nos seu caminhos, se atolou na lama do pecado. Vazio de Deus andou desgarrado e errante, como ovelha que não tem pastor.

E Deus contemplou o homem caído, perdido, e o chamou de volta através de Cristo. Na verdade não foi Deus quem se afastou do homem, mas o homem que se afastou de Deus. Mas Ele não se esqueceu do homem, Ele ama o pecador mas aborrece o pecado, por isso "Amou o mundo de tal maneira, que deu o seu Filho unigênito para que todo aquele que nele crê, não pereça mas tenha a vida eterna" (Jo 3.16)

E o Senhor Jesus Cristo deixou a sua Glória, a presença do Pai e dos anjos e esvaziando-se de si mesmo, se fez semelhante aos homens (Fp 2.7) e "O verbo se fez carne e habitou entre nós" (Jo 1.14). A luz verdadeira veio ao mundo para iluminar os que andam assentados nas trevas e dirigir os nossos pés pelo caminho da paz (Lc 1.79).

Ele veio dar a sua vida em resgate de muitos (Mt. 20.28) e com preço de sangue firmar uma Nova Aliança, tornando-se o Único Mediador entre Deus e os homens (I Tm 2.5). Pelo seu sangue derramado no Gólgota o Senhor abriu a porta da Graça, trazendo salvação a todos os homens.

Verdadeiramente Deus encarnou-se em Cristo para que no seu próprio corpo pudesse levar à cruz as penalidades que eu você estávamos sujeitos. "As nossas dores levou sobre si... Ele foi ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidade: o castigo que nos traz a paz estava sobre ele... Ele foi oprimido mas não abriu a sua boca: como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, ele não abriu a sua boca" (Is 53).

Ele nasceu numa estrebaria e cresceu trabalhando numa carpintaria "...homem de dores, e experimentado nos trabalhos ..." (v.3) em meio a estrema pobreza, para dar-nos o direito de habitar em meios às riquezas dos seus átrios, e palmilhar as ruas douradas da Nova Jerusalém.

Ele foi rejeitado pelos homens para nos fazer aceitáveis a Deus, fatigou-se em viagens e trabalhos para dar-nos repouso no seio de Abraão (Lc 16.22).

Ele foi vestido de um manto de vergonha no ato da sua crucificação, para nos vestir com o linho branco da sua justiça.
Foi coroado com uma cora de espinhos para pudéssemos usar uma coroa de glória.
Ele foi desamparado na cruz, para nos colocar sob os constantes cuidados do Pai.
Morreu na cruz do calvário para nos fazer participantes da Vida Eterna.
Desceu às regiões mais profundas, para dar-nos o direito de subirmos e morarmos nos mais altos montes das moradas do Altíssimo.
"Cristo morreu por todos, para que os que vivem, não vivam mais para si, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou" (II Co 5.15).

Cristo morreu por nossos pecados segundo as Escrituras, para nos remir de toda a iniquidade e purificar para si um povo seu, especial, zeloso de boas obras (Tt 2.14). Com seu sangue comprou para Deus homens de toda a tribo, e língua, e povo, e nação (Apoc 5.9 a). Esse povo se encontra separado para Cristo e aguarda com expectativa a vinda do Senhor. É a Igreja do Deus Vivo, a noiva de Cristo: coluna e firmeza da verdade (I Tm 3.15 b).

O Senhor Jesus Cristo voltará sem dúvida para buscar a sua Igreja, o povo adquirido, a nação santa a que se referiu o apóstolo Pedro em sua primeira epístola (I Pe 2.9).

Levou sobre o seu corpo no madeiro os nossos pecados (I Pe 2.24 a)

As pessoas costumam freqüentarem igrejas, mas as vezes não param para perguntar POR QUE? Por que tantas igrejas, das mais variadas denominações, por que tantas religiões e seitas, de doutrinas e costumes diferentes, se só há um único Deus e um só Caminho para se chegar até Ele ?

Igreja é a tradução do termo grego "EKKLESIA" que no sentido comum e lingüístico grego significa "chamado, convocado, reunido". Literalmente quer dizer: "Os chamados para fora". Mas para fora do que, você pode perguntar; a resposta é: DO MUNDO.

Em Romanos cap. 1 verso 1 está escrito: "Paulo, servo de Jesus Cristo, CHAMADO para apóstolo, SEPARADO para o evangelho de Deus". No verso 6 ele ainda acrescenta: "Entre os quais sois também vós chamados para serdes de Jesus Cristo". Na verdade, cada ser humano recebe o chamado de Deus para a salvação, quando alguém atende pela fé a este chamado "Vinde a mim" (Mt 11.28) é logo "tirado para fora" deste mundo de pecado e "separado" para fazer parte da Igreja. Da ÚNICA, verdadeira e poderosa Igreja do Senhor. Quem faz isto não é o homem, e sim o Espírito Santo de Deus.

Desde o momento em que aceitamos a Cristo e o confessamos como Salvador, passamos a estar no mundo sem sermos do mundo: "Não sois do mundo" (Jo 15.19), disse Jesus, mas estrangeiros e peregrinos na terra (Hb 11.13 b). Quem ainda está no mundo fazendo a vontade da carne e dos pensamento conforme Efésios 2.1-3, ainda está em trevas, e por conseguinte, separado de Deus.

EXISTE UMA SÓ IGREJA, um só povo de Deus, e o Senhor conhece os que são seus (II Tm 2.19). Esta é constituída por crentes de todos os tempos e lugares, unidos a Deus pela salvação alcançada em seu Filho Jesus. Redimidos em Cristo foram feitos novas criaturas mediante um novo nascimento (Jo 3.3)

Está sendo preparada e adornada pelo Espírito Santo para ser apresentada a Ele como "Igreja gloriosa, sem mácula, nem rugas, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível" (Ef 5.27).

A igreja como uma noiva fiel, que aguarda seu noivo que está de viagem, permanece esperando com paciência o seu Amado "JESUS CRISTO". Apesar da distância, ela a igreja tem a promessa que Ele vai voltar, para então casar-se com ela. Toda vez que a saudade aperta ela lê cheia de gozo, a carta amorosa deixada por nosso POR Jesus Cristo o noivo: A Bíblia Sagrada. Para confortar o seu coração e senti-lo mais perto de si.

Mesmo diante de tantos convites que o mundo oferece, ela não sai com outro (falsas doutrinas) nem se prostituí com o mundo, mas conserva-se de branco, virgem e pura para o seu Senhor.

É o amor que a preserva. Jesus disse: "Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama...se alguém me ama guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele, e faremos nele morada" (Jo 14.21,22).

Existe somente uma Igreja fiel: "A noiva de Cristo". A qual será revelada no dia do arrebatamento.

"Estou zeloso de vós com zelo de Deus; porque vos tenho preparado para vos apresentar como uma virgem pura a um marido, a saber, a Cristo" (II Co 11.2)



EXISTE UMA SÓ RELIGIÃO: JESUS CRISTO

A palavra religião vem do latim "religium" que quer dizer "religar" ou "ligar novamente". O que? O homem com Deus é a resposta.

Por causa do pecado a comunhão que o homem tinha com Deus foi quebrada, Jesus Cristo veio ao mundo então com o propósito de "Buscar e salvar o que se havia perdido" (Lc 19.10). Ele veio resgatar a humanidade e conduzi-la de volta a Deus, religando a criatura ao Criador.

Observe as palavras do apóstolo Paulo aos Romanos: "Mas Deus prova seu amor para conosco em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores: logo muito mais agora, SENDO JUSTIFICADOS PELO SEU SANGUE, seremos por ele salvos da ira. Porque se nós sendo inimigos (Tg 4.4b) FOMOS RECONCILIADOS COM DEUS PELA MORTE DE SEU FILHO, muito mais, estando já reconciliados, seremos salvos pela sua vida." (Rm 5.8-10).

Em Cristo somos justificados. N’Ele fomos reconciliados com Deus.

Fora de Cristo não há religião. Ele é a própria religião, a Videira verdadeira (Jo 15.1), onde a verdadeira Igreja está enxertada.

Mas as pessoas costumam dizer que "todas as religiões levam a Deus". Alguém me disse certa vez, que como os aros de uma bicicleta convergiam todos para um único eixo, igualmente, não importando a religião, todas levariam a Deus. Parece ser um raciocínio lógico, mas não é a verdade. Um só Caminho leva para céu. Deus estabeleceu este Caminho: CRISTO, mas o homem tem buscado muitos atalhos.

"Religião não se discute, fica com a tua que eu fico com a minha". Quantas vezes, quem sabe, você disse isso para alguém "no final das contas, iremos todos para o céu".

Só que quem pensa assim está fazendo "as contas" erradas. Jesus afirmou categoricamente: "Eu sou o Caminho, e a Verdade, e a Vida. Ninguém vem ao Pai, senão por mim." (Jo 14.6). Ele não é um dos caminhos que levam a Deus, Ele é o único caminho. Quem não está nele se encontra desorientado, perdido, fora do Caminho. Ele é a verdade, quem não está nele ainda está no erro, na mentira e no engano. Ele é a Vida Eterna. Quem não está nele está morto; espiritualmente morto em seus delitos e pecados (Ef 2.1).

Há pessoas que crêem "no seu Deus" e lhe prestam culto da forma que querem e como bem entendem. Submetem a Deus aos seus próprios caprichos e conceitos, porém Jesus disse que "Os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade." (Jo 4.23,24).

São diferentes correntes filosóficas e doutrinárias que buscam a Deus de diferentes formas. As várias denominações existentes se divergem umas das outras. É um verdadeiro cabo de guerra. Isso provoca muitas dúvidas naqueles que desejam ingressar numa igreja local e aí surge a pergunta: Em qual delas, já que são tantas ? A resposta está na palavra de Deus. A Bíblia Sagrada continua sendo e sempre será a única regra de fé prática para o cristão.

O mundo anda sem Deus, sem paz e sem esperança... Jesus disse: "Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas" (Jo 8.122).

"O mundo está em trevas e jaz no maligno" (I Jo 5.19). As pessoas correm de um lado para o outro, tateando no escuro em busca de se agarrar em algo. Mas observe...

Quando entramos em casa de noite, procuramos instintivamente o interruptor para acender a luz. O escuro traz medo, receio e insegurança. Quando de repente há um corte de energia, a primeira reação que temos é sair pela casa em busca de uma vela. Ao chegar a luz há manifestações de alegria em toda a parte. No escuro tropeçamos, esbarramos e andamos com dificuldade, mas na luz tudo se vê , tudo se torna claro.

A Bíblia é um clássico exemplo do que estamos a tratar, enquanto fechada, sua capa denuncia as trevas em que o mundo está mergulhado, mas quando aberta, suas páginas luminosas fazem resplandecer a Luz do evangelho da Glória de Cristo. A Bíblia pois é o interruptor, que traz luz a nossa alma. E a Luz é o Senhor Jesus. Mas muitos tem desprezado a Luz não dando ouvidos à Sua Palavra. Mas quem não crer no unigênito Filho de Deus, está trazendo sobre si condenação e se não se arrepender sofrerá o juízo, porque " a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más. Porque todo aquele que faz o mal aborrece a luz, e não vem para a luz, para que as suas obras não sejam reprovadas. Mas quem pratica a verdade vem para a luz, a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque são feitas em Deus." (Jo 3.19-21).

O Senhor Jesus Cristo advertiu que "nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! Entrará no Reino dos Céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos Céus." (Mt 7.21).

Eis a fórmula, analise e veja qual a igreja que está fazendo a vontade de Deus. A vontade de Deus é que andemos conforme a sua Palavra: " Porque Deus não nos chamou para a imundícia, mas para a santificação" (I Tess 4.7).

Jesus colocou a Igreja no mundo para que o mundo fosse influenciado por ela (Rm 12.2) mas o diabo se esforça em colocar o mundo dentro da Igreja "Honram-me com os seus lábios" disse Jesus "mas o seu coração está longe de mim." (Mt 15.8)

Amigo(a), o melhor a fazer, digo com toda a sinceridade, é procurar uma igreja evangélica, onde a Palavra de Deus é pregada e ensinada no poder e na autoridade do Espírito Santo. Onde a Bíblia Sagrada é a única regra de fé e o Senhor Jesus Cristo é amado. Uma igreja cristocêntrica, onde Ele é o centro de tudo e em tudo tem preeminência. Congregue ali com sua família "perseverando na doutrina dos apóstolos, e na comunhão e no partir do pão, e nas orações" (Atos 2.42) e seja assíduo aos cultos e atividades da igreja "não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-vos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia." (Hb 10.25)

Mais que dia é esse? O dia do ARREBATAMENTO DA IGREJA.

Não se engane, os diversos caminhos não conduzem a Deus. " Porfiai por entrar pela porta estreita, porque larga é a porta e espaçoso o caminho que conduz a perdição, e muitos são os que entram por ela; e porque estreita é a porta e apertado o caminho que leva a vida, e poucos há que a encontram." (Mt 7.13,14)

Observe, um caminho conduz a perdição, o outro leva à vida. Pare e pense um pouco, em qual destes caminhos você está?!

Generalizou-se na mente das pessoas que todo mundo é filho de Deus. É bem verdade que somente aos que O receberam como Senhor e Salvador, é que lhes foi dado o poder de serem feitos filhos de Deus, àqueles que crêem no seu nome (Jo 1.12). A afirmativa do apóstolo João em sua primeira epístola cap. 3 verso 2, deixa isso bem evidente: "Amados, agora somos filhos de Deus...", as demais pessoas que ainda resistem ao evangelho, não fazendo uma decisão pessoal ao lado de Cristo, são criaturas de Deus, as quais Ele ama, mas não receberam em si mesmos a natureza de Deus e o amor da verdade para se salvarem.

É necessário que se arrependam e se convertam ao Senhor, pois acham que vão para o céu fumando, bebendo e prostituindo. Já foi dito que a porta do mundo é larga e o caminho é bem espaçoso. Note que uma multidão passa por ela. Neste caminho milhões de pessoas vivem a vida de forma dissoluta e maliciosa, em meio a orgias e prazeres sem terem nenhum compromisso sério com Deus e com Sua Palavra. Cuidam em fazer somente a vontade da carne, mas o fim disso tudo é a morte. Esta é a porta que conduz à perdição: quando abrirem os olhos estarão no inferno.

Mas a porta que se abre para a Vida é estreita, esta porta é Jesus: "Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, será salvo..." (Jo 10.9) e o caminho é apertado: "Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome a sua cruz a cada dia , e siga-me." (Mc 8.34)"

Jesus falou bem claro, Ele disse: "Se alguém quiser...'; Ele não obriga ninguém a seguí-lo: " Não por força, nem por violência, mas pelo meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos." (Zc 4.6b)

Ele chama e convida a vir até Ele: "Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve." (Mt 11.28-30)

Ainda que tem o poder de exigir, Ele não o faz, mas pede com infinito amor: "Dá-me filho meu, o teu coração, e os teus olhos observem os meus caminhos." (Pv 23.26). Ele não entra na vida de ninguém sem permissão, nem arromba a porta do coração, mas do lado de fora, paciente e cheio de misericórdia diz: "Eis que estou a porta e bato: Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei e ele comigo." (Apoc 3.20)

Se você ainda não atendeu a este apelo, não faz parte desta Igreja vitoriosa, nem conhece a verdadeira religião. VEM! Jesus te chama pelo nome. Ele te ama e te conhece muito bem. Aceite-o como Salvador e Senhor absoluto da sua vida. Você tem uma alma muito preciosa e só Cristo tem o poder de salvá-la da perdição. Reconheça seus pecados e os confesse diante de Deus.

Comece desde já uma nova vida em Cristo e receba a alegria e a certeza da salvação.

" PREPARA-TE PARA TE ENCONTRARES COM O SENHOR TEU DEUS, POR QUE NÃO SABES O DIA NEM A HORA QUE HÁ DE VIR O VOSSO SENHOR."